WINE BAR DO ESPORÃO COM OFERTA AMPLIADA

O enoturismo da Herdade do Esporão ampliou a oferta gastronómica do seu Wine Bar. Além de provas de vinho, azeite e cerveja artesanal, agora também se podem provar pratos preparados pelo chef Carlos Teixeira e sua equipa.

Tendo como base uma cozinha sustentável e de foco no produto, utilizando os mesmos ingredientes do restaurante da Herdade do Esporão (uma estrela Michelin), neste espaço descontraído são servidos pratos de conforto sazonais, frescos e simples.

  • Salada de beterraba

São os ingredientes frescos e mais vibrantes do dia, que determinam o menu. Quem o diz é António Roquette, gestor de operações do Esporão: “A sustentabilidade e a eficácia desta oferta estão em pratos como os Peixinhos da nossa horta, que tanto podem ser de feijão verde, como de curgete, pimento ou couve-flor; o Escabeche do campo, cujas possibilidades vão do pato, ao frango ou coelho, a Salada de beterraba acompanhada por ameixas, pêssegos ou dióspiros dependendo da época, ou os Croquetes e a Pá de Borrego assada lentamente no forno, que nos permitem a utilização de animais no seu todo. Ao Domingo e à Segunda-feira, dias em que o restaurante está encerrado, podem haver surpresas provenientes directamente do menu do restaurante”.

O Wine Bar está aberto todos os dias, entre as 12h30 e as 15h30 e os preços poderão variar entre 5 euros e 25 euros. Aconselha-se reserva prévia através do e-mail reservas@esporao.com ou do telefone (+351) 266 509 280.

  • Mil folhas de batata

Também o enoturismo está aberto todos os dias das 10h às 19h, o enoturismo continua com a sua oferta habitual de visitas à cave e adegas, provas de vinho, azeite e cerveja artesanal, passeios de bicicleta e trilhos.


O restaurante da Herdade do Esporão, distinguido em 2021 com uma Estrela Michelin e uma Estrela Verde, está aberto de Terça a Sábado, das 12h30 às 15h30. Os ingredientes utilizados nos menus provêm das hortas biológicas da Herdade do Esporão ou chegam através de produtores locais e nacionais.


Quinta do Pessegueiro vence Concurso Tomate Coração de Boi do Douro

O ano está a ser difícil para o bom desenvolvimento do Tomate Coração de Boi do Douro. Mesmo assim, não faltaram à mesa do concurso excelentes exemplares. À festa do melhor tomate da campanha 2022 juntaram-se especialistas para falarem sobre a sua valorização e contributo para o desenvolvimento sustentável da região.

Na V Edição do concurso Tomate Coração de Boi do Douro, que teve lugar na Quinta de Nápoles (Niepoort), no último dia 26 de agosto, no primeiro lugar, classificou-se a Quinta do Pessegueiro que conquistou 3,78 pontos escala do 0 a 5), em segundo lugar ficou o projeto de horticultura familiar Tanque Science & Wine, que obteve 3,69 e em terceiro , a Quinta da Manoella, dos vinhos Wine & Soul, ~que obteve 3,58 pontos.

“Estávamos expectantes quanto ao tomate que iria ser apresentado a concurso, dadas as condições adversas do ano. Verificamos, efetivamente, menor qualidade média, mas os melhores tomates estiveram ao nível dos anos anteriores”, sintetiza o presidente do júri do concurso, Francisco Pavão.

Por um selo de qualidade

A festa que se seguiu à prova do júri, nos jardins da Quinta de Nápoles/vinhos Niepoort, integrou um debate sobre os produtos endógenos do Douro, a sua valorização e importância na promoção e sustentabilidade do território, momento promovido em parceria com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N).

“É com muito entusiasmo que nos associamos a este evento, no âmbito dos 20 Anos do Douro Vinhateiro Património Mundial “, começou por referir Célia Ramos, vice-presidente da CCDR-Norte, lembrando também os desafios que a região tem pela frente, nomeadamente de adaptação às alterações climáticas: “A inteligência do Douro vai passar pela diversificação dos produtos agrícolas” e “complementaridade da vinha com outras culturas”.

Ana Maria Barata, coordenadora do Banco Português de Germoplasma Vegetal, viu o Concurso do Tomate Coração de Boi do Douro como uma excelente forma de “valorização de um produto endógeno da região” e lembrou que o banco de sementes que dirige tem uma vasta coleção de sementes de tomate, 25 por cento das quais de Tomate Coração de Boi de várias regiões do país. No final, deixou um desafio: “Seria interessante avaliar a qualidade das sementes de que dispomos, até para se poder dar o salto e trabalhar na qualificação deste material, no seu reconhecimento e criação de um selo de qualidade do Tomate Coração de Boi do Douro”.

Com forte ligação à região, Teresa Andresen, arquiteta paisagística e engenheira agrónoma, recordou as cestas que chegavam de comboio ao Porto com as frutas e hortícolas dos “jardins secretos”, a que se acedia “por uma portinha” que representava o acesso “àquele paraíso” dos sabores do Douro. “Dizíamos sempre, e bem, que não há fruta como a do Douro”, sublinhou.

Nem só de vinho vive o Douro, lembra por fim António Monteiro, assessor da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, recordando os escritos do Visconde de Vilarinho de São Romão sobre os diversos produtos da região, incluindo o Tomate Coração de Boi. A riqueza de variedades de frutos e legumes no Douro está documentada, concluiu, podendo servir de apoio a atividades alternativas à vinha e de valorização da biodiversidade e sustentabilidade da região.

A moderação da conversa ficou a cargo do jornalista e curador do projeto de valorização do Tomate Coração de Boi do Douro, Edgardo Pacheco.


CHAMPAGNE E MADEIRA MILIONÁRIOS

Doze convidados disponibilizaram-se a pagar 1800 euros cada um para terem acesso ao menu de degustação que o Food Circle, no Sublime Comporta, serve no próximo dia 17 de setembro, às 20h00, em honra de um dos mais caros e reputados champagnes do mundo, ocasião em que vai conviver com vinho da madeira. O momento marca a presença em Portugal do produtor de champagne Stephane Sésé, responsável pela Boerl & Kroff, marca de luxo que viu o mercado nacional aumentar 5 por cento em 2022, à boleia do trabalho desenvolvido pela Martins Wine Advisor (MWA), consultora de vinhos com a representação oficial da marca. No menu desenvolvido com a consultoria de vinhos de Cláudio Martins não poderia deixar de estar um vinho português, o Madeira D’ Oliveiras Bastardo 1927, “equiparado a todos os níveis ao champagne da B&K e que combina na perfeição neste momento de partilha”, adianta o CEO da MWA.

No dia anterior ao jantar, 16, sexta-feira, no lisboeta JNcQUOI, Stephane Sésé e Cláudio Martins orientam uma prova de champagne para os membros do clube.

Esta marca de champagne está disponível em segmentos de nicho como JNcQUOI, Praia no Parque ou Sublime. Os mais vendidos são: B de Boërl and Kroff 2012 (em garrafeiras entre 500 e 1000 euros); Boërl and Kroff Rose NV (magnum) e Boërl and Kroff Brut 1998 (magnum) os dois últimos a rondarem os 5600 euros. Quanto ao vinho Madeira D’Oliveiras Bastardo 1927 está à venda, também em garrafeira, por valores entre os 790 e os 1080 euros. (Na foto: Stéphane Sésé (produtor do champagne) e Cláudio Martins


Chefe Pedro Mendes e Vinhos Quinta do Quetzal sexta-feira no Restaurante Panorama do Sheraton

Na próxima sexta-feira, 29 de Junho, o chefe Pedro Mendes da Quinta do Quetzal é o convidado para os já tradicionais jantares gastronómicos do Restaurante Panorama do Hotel Sheraton, em Lisboa.

“Todos os meses convidamos quintas que se estão a diferenciar no panorama nacional para trazerem ao nosso restaurante os seus vinhos e os seus chefs de modo a proporcionarmos aos nossos clientes uma experiência diferenciadora”, refere António Pereira, director Sheraton Lisboa Hotel & Spa. Por seu turno o chefe Pedro Mendes referiu: “O meu objectivo é apresentar um menu que reflicta o trabalho que tenho desenvolvido na Quinta do Quetzal, utilizando sempre os produtos da região”.

Com um valor de 59€ por pessoa, com vinhos incluídos, o menu inclui: Boas vindas com Quetzal Brut 2014; Croquete de farinheira preta e mostarda de pimento, ervilha e hortelã, acompanhado de Guadalupe rosé 2017; Queijo de cabra, uvas e beldroegas, servido com Guadalupe Winemaker’s Selection branco 2016; Cação em tomatada e poejos com, Quetzal Reserva branco 2014; Lombinho de porco Alentejano com fumados, bolota e túbaras, em maridagem com Quetzal Reserva tinto 2015 e Laranja em sete texturas e hortelã da ribeira, a fazer dueto com Quetzal Rich white 2014.

A Quinta do Quetzal situa-se na encosta sul da serra de Portel, na Vidigueira, mais propriamente na freguesia de Vila de Frades, próximo das ruínas da antiga villa romana de S. Cucufate, que serviu de inspiração para a adega,

Os proprietários, Cees e Inge de Bruin são grandes coleccionadores e mecenas de arte contemporânea e mantêm há mais de 40 anos uma forte ligação a Portugal.

Quanto ao chefe Pedro Mendes, é natural de Lisboa, começou a carreira no Algarve, passou pelo Hotel Marmoris em Vila Viçosa e agora, para além da cozinha da Quinta do Quetzal oficia no Maria Pia, no Clube Náutico de Cascais, para além de ter voltado como consultor ao hotel de Vila Viçosa.


Quinta da Boa Esperança anima jantar no Egoísta, o restaurante do Casino da Póvoa dia 8 de Março

A Quinta da Boa Esperança é o produtor convidado para o próximo jantar vínico no Egoísta. Este jantar, no restaurante do Casino da Póvoa do Varzim, será no dia 8 de Março, a propósito do Dia da Mulher. A enóloga da Boa Esperança (Região de Lisboa), Paula Fernandes, irá estar presente para falar um pouco do projecto e explicar as harmonizações feitas com o menu desenvolvido pelo chefe Hermínio Costa.

“Achámos muito interessante levar estes vinhos diferenciadores da região de Lisboa para harmonizar um jantar que acreditamos que irá surpreender com os pratos do chef Hermínio Costa”, refere a enóloga.

O jantar terá um preço de 45€ por pessoa, o menu é composto por:

No Bar – Quinta da Boa Esperança Rosé 2016

– Lagostins e Geleia de Espargos Verdes – Quinta da Boa Esperança Sauvignon Blanc 2016

– Rodovalho de Mar, Nage de Amêijoas e Legumes Baby – Quinta da Boa Esperança Reserva 2016

– Pintada, Cogumelos Brancos, Jus de Pintada e Vinho do Porto – Quinta da Boa Esperança Alicante Bouschet 2015

– Chocolate Negro, Chocolate Branco, Framboesas e Água de Rosas – Quinta da Boa Esperança Syrah 2015

As reservas podem der feitas pelo telefone 252 690 888

Quinta da Boa Esperança – Colheita Branco PVP 7,25€   Quinta da Boa Esperança – Sauvignon Blanc 11,20€  Quinta da Boa Esperança – Alicante Bouschet 2015 PVP 14,90€  Quinta da Boa Esperança – Syrah 2015 PVP 14,90€


Cozinha da Clara: menu Tomate a partir de 15 e jantar temático a 18 de Agosto

 

_DSC4689.jpg

Como já demos conta em artigo anterior, vai realizar-se no dia 18 de Agosto, na Quinta de La Rosa (Pinhão) o II Concurso Tomate Coração de Boi. Nesta iniciativa o tomate da variedade Coração de Boi proveniente de quintas de produtores de vinho do Douro será submetido, pelo segundo ano consecutivo, a uma prova cega e avaliação a cargo de chefes de cozinha, enólogos, jornalistas, entre outros. Interessante é  a conversa que vai decorrer às 6 e meia da tarde sob o mote Será o Douro o melhor terroir para o tomate coração de boi?, moderada pela docente investigadora da UTAD Ana Paula Silva. Depois dos trabalhos, o momento é de festa. É chegada a hora do Cozinha da Clara – o recém-inaugurado restaurante da Quinta de la Rosa – ser palco de um jantar volante, aberto a todos os que se queiram inscrever, no final do qual serão revelados os vencedores do Concurso. O preço é de 25 euros.

Ler Mais