CHAMPAGNE E MADEIRA MILIONÁRIOS

Doze convidados disponibilizaram-se a pagar 1800 euros cada um para terem acesso ao menu de degustação que o Food Circle, no Sublime Comporta, serve no próximo dia 17 de setembro, às 20h00, em honra de um dos mais caros e reputados champagnes do mundo, ocasião em que vai conviver com vinho da madeira. O momento marca a presença em Portugal do produtor de champagne Stephane Sésé, responsável pela Boerl & Kroff, marca de luxo que viu o mercado nacional aumentar 5 por cento em 2022, à boleia do trabalho desenvolvido pela Martins Wine Advisor (MWA), consultora de vinhos com a representação oficial da marca. No menu desenvolvido com a consultoria de vinhos de Cláudio Martins não poderia deixar de estar um vinho português, o Madeira D’ Oliveiras Bastardo 1927, “equiparado a todos os níveis ao champagne da B&K e que combina na perfeição neste momento de partilha”, adianta o CEO da MWA.

No dia anterior ao jantar, 16, sexta-feira, no lisboeta JNcQUOI, Stephane Sésé e Cláudio Martins orientam uma prova de champagne para os membros do clube.

Esta marca de champagne está disponível em segmentos de nicho como JNcQUOI, Praia no Parque ou Sublime. Os mais vendidos são: B de Boërl and Kroff 2012 (em garrafeiras entre 500 e 1000 euros); Boërl and Kroff Rose NV (magnum) e Boërl and Kroff Brut 1998 (magnum) os dois últimos a rondarem os 5600 euros. Quanto ao vinho Madeira D’Oliveiras Bastardo 1927 está à venda, também em garrafeira, por valores entre os 790 e os 1080 euros. (Na foto: Stéphane Sésé (produtor do champagne) e Cláudio Martins


VINHOS DE SETÚBAL EM GRANDE CRESCIMENTO

Os Vinhos da Península de Setúbal venderam mais de 1 milhão de litros na restauração (1.042.154), durante os primeiros 6 meses deste ano, tendo registando um aumento superior a 200%, relativamente ao mesmo período de 2021, que assinalou vendas de 338.510 litros. Em termos de valor em euros, neste canal de vendas, o aumento registado pelos Vinhos da Península de Setúbal no primeiro semestre de 2022 foi superior a 234% (3.165.782 € em 2021 vs. 10.586.801 € em 2022). Estes dados foram avançados pela consultora Nielsen.

Para este aumento exponencial muito contribuiu a retoma no turismo e o levantamento das restrições anticovid, que permitiram o regresso dos consumidores aos restaurantes.

Para Henrique Soares, Presidente da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal, este aumento exponencial na restauração reflete o trabalho realizado pelos produtores da região durante a pandemia: “Consolidámos o trajecto dos vinhos da nossa região durante a pandemia, nomeadamente no sector da distribuição. As pessoas que consumiram vinhos da Península de Setúbal em casa, com o levantamento das restrições anticovid e consequente reabertura dos restaurantes, passaram a selecioná-los e a dar- lhes primazia nos convívios e refeições fora de casa. Além disso, a retoma do sector do turismo também contribuiu muito para este aumento em volume de litros e valor, na restauração”.

Em termos globais, os Vinhos da Península de Setúbal continuaram a ocupar a segunda posição, no primeiro semestre do ano, entre os vinhos certificados mais consumidos no mercado nacional, com uma quota de mercado de 17,60% em volume. O preço médio dos vinhos da região, na distribuição e restauração, subiu 0.79 euros por litro, tendo ultrapassado os 41M€ (41.146.901€) de vendas globais no mercado nacional, durante os primeiros seis meses do ano.

Refira-se que na Península de Palmela se produzem três tipos de vinho certificado: Vinhos DO Palmela: certifica vinhos: brancos, rosados e tintos, frisantes, espumantes e licorosos. Engloba os concelhos de Setúbal, Palmela, Montijo e a freguesia de Nossa Senhora do Castelo, do concelho de Sesimbra.

Correspondendo à mesma área de delimitação da DO Setúbal, a designação Vinhos DO Setúbal é aplicável exclusivamente, para vinhos generosos, brancos (à base da casta Moscatel de Setúbal) ou tintos (à base da casta Moscatel Roxo).

A designação Vinho Regional Península de Setúbal é aplicável a vinhos brancos, tintos e rosados, frisantes, licorosos e vinho para base de espumantes. De maior dimensão geográfica, inclui todo o distrito de Setúbal. Engloba os concelhos Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Sines.


PROGRAMAS NAS VINDIMAS DA QUINTA DO PÔPA

A Quinta do Pôpa, produtor de vinhos no Douro (Adorigo, concelho de Tabuaço) organiza dois programas de vindima. O “Vindimas à do Pôpa – Especial 90 anos Vinhas Velhas” vão ter lugar todas as quartas e quintas-feiras entre as 10 e meia e as 4 e meia da tarde. O outro programa, denominado “Pôpa Friends”, vai ter lugar apenas no dia 3 de Setembro, sábado, e é destinado apenas aos membros do PôpaFriends Wine Club (para se inscrever basta aceder ao site da Quinta).

Em ambos os programas, existe a visita a adega, participação na vindima, prova de vinhos e o tradicional almoço de vindima.

Ambos os programas têm o preço de 150 euros por pessoa mas no final do programa “Pôpa Friends”, os participantes podem comprar vinhos na loja da quinta nesse valor.


FESTA DO TOMATE CORAÇÃO DE BOI

Cultura e música, produtos da horta e petiscos regressam ao largo da aldeia de Arroios, às portas de Vila Real, no próximo sábado, dia 27 de agosto, dando corpo à festa que tem atraído locais e visitantes em número crescente.

Na sua XII edição, a iniciativa conta também, a partir das 17h30, com um Pecado de Gula: na bonita capela do século XVIII, repete-se a prova do Tomate Coração de Boi do Douro, azeite e flor de sal, iniciativa de entrada livre orientada por Edgardo Pacheco (jornalista), Francisco Pavão (especialista em azeite) e Jorge Raiado (Salmarim).

Segue-se, pelas 18h00, o Mercadinho da Capela, no largo da aldeia. Além dos produtos hortícolas de Arroios, Tomate Coração de Boi incluído, pode ali comprar doces e compotas, artesanato, vinhos. E, claro, fazer a festa. Haverá animação, música, vinhos e petiscos – entre outros, porco no espeto –, para compor a mesa e os encontros.

Hortícolas da aldeia, artesanato, vinhos do Douro DOC e Porto. Um porco no espeto, música para um pé de dança. E tomate, muito Tomate Coração de Boi do Douro, a delícia de verão que anda a dar que falar. A festa no largo da capela barroca da aldeia de arroios, às portas de Vila Real, está de regresso.

À semelhança da edição anterior, a organização assegura transfer permanente a partir do parque de estacionamento da Quinta do Paço.


Quinta de Chocapalha abre as portas na vindima

Desde a antiguidade clássica que a vindima, época da colheita das uvas, é celebrada como se de uma festa se tratasse, afinal é o culminar do trabalho de um ano inteiro que, naquele momento, simbolicamente se festeja. Agosto e Setembro são os meses áureos das vindimas em Portugal e a Quinta de Chocapalha, localizada a 45 minutos de Lisboa, na histórica Aldeia Galega da Merceana, preparou o programa ideal para os amantes de vinho que querem conhecer melhor os segredos deste néctar: o “Wine Lover Chocapalha”.

Acompanhados por um membro da família Tavares da Silva, proprietária desta quinta, os visitantes poderão fazer a visita guiada, de uma forma muito pessoal, à adega, vinhas e sala de barricas, e, com um pouco de sorte, assistir in loco aos trabalhos da vindima, na vinha e/ou adega.

Este programa termina com uma prova privada de 3 vinhos, incluindo um topo de gama, harmonizada com charcutaria local.

Com respeito pela tradição e paixão pela região de Lisboa, a Quinta de Chocapalha é um projeto de família que produz vinhos que espelham uma grande elegância e um enorme potencial de envelhecimento.

As marcações das visitas, poderão ser feitas através do website www.chocapalha.pt/enoturismo ou dos contactos: 263 769 317 visitas@chocapalha.com. O preço por pessoa é de 36€

Quinta de Chocapalha – Rua Carles Duff, 2580-081 Aldeia Galega da Merceana


Na Herdade Grande a família Lança espera por si

Pertinho da Vidigueira a Herdade Grande promete~lhe um dia bem passado com passeio pelas vinhas, visita à adega, prova de vinhos em harmonização com a gastronomia regional, ou um almoço à mesa com a família Lança. No limite um pic-nic ao fim da tarde tendo por cenário as vinhas e os montados desta propriedade onde a família Lança recentemente comemorou um século de produção de vinhos. Para assinalar esta data foram lançadas edições limitadas dos Amphoras e do Sousão .

Todo este programa está desenhado tendo em atenção as novas necessidades impostas pela pandemia, com a certificação Clean&Safe do Turismo de Portugal. As experiências são adaptadas a cada visita e possíveis, até, aos sábados e domingos, mediante marcação prévia através do email geral@herdadegrande.com ou dos telefones 284 441 712 / 913 081 958 / 916 603 166.

Sobre este programa de enoturismo Mariana Lança, diretora geral e quarta geração da Herdade Grande, afimou “Estamos numa época de regresso às experiências mais genuínas e a Herdade Grande é um campo de possibilidades para isso mesmo. Queremos simplesmente partilhar o melhor que esta terra da Vidigueira nos dá, desde os vinhos e gastronomia, à incrível paisagem e ao Sol alentejano, sempre num ambiente familiar, com grande segurança e tranquilidade. Continuamos uma empresa familiar, um pouco como quando o meu bisavô aqui se estabeleceu, em 1920 e, no fundo, as experiências que oferecemos são a extensão disso mesmo”.