PERIQUITA COM NOVA IMAGEM

Periquita, a marca de vinhos mais antiga de Portugal, lançada em 1850, acaba de chegar ao mercado com a imagem renovada. Com este rebranding, o produtor José Maria da Fonseca pretende reforçar a Portugalidade deste icónico vinho que está presente em mais de 70 países há 168 anos.

António Maria Soares Franco, Administrador e Vice-presidente da José Maria da Fonseca, é a sétima geração da família a gerir a centenária empresa vitivinícola sediada em Vila Nogueira de Azeitão. Para o administrador ‘nesta gestão entre a história e a inovação é sempre muito delicada. São 168 anos ininterruptos a produzir Periquita, 70 mercados e mais de 4 milhões de garrafas produzidas anualmente pelo que, alterar a imagem de uma marca icónica e bem implementada no mercado, é sempre uma ousadia. No entanto acreditamos que é no equilíbrio entre a história, as raízes e o carácter original da marca e a insatisfação constante que vamos não só manter o legado que nos foi deixado, como vamos deixá-lo ainda melhor para as futuras gerações. A história do Periquita é essa também, a sua constante reinterpretação, mantendo o carácter original do vinho, mas procurando inovar na imagem, e por isso está cá há tantos anos.’

Nesta renovação de imagem da gama Periquita  – Periquita Tinto, o Periquita Reserva, o Periquita Branco  e o Periquita Rosé – existem várias novidades nos elementos visuais presentes no rótulo: a marca “umbrella” José Maria da Fonseca surge reforçada, como símbolo de mérito e qualidade; a assinatura do enólogo Domingos Soares Franco no rótulo concede ao Periquita mais legitimidade e relevância; os acabamentos reforçados no rótulo enobrecem a marca e a recuperação do brasão da Ordem da Torre e Espada (distinção atribuída pelo rei D. Pedro V a José Maria da Fonseca em 1856 pelo Valor, Lealdade e Mérito no âmbito da indústria portuguesa) no rótulo é um regresso às origens da marca.

Os preços recomendados para os Periquita Tinto 2016, Periquita Branco 2017 e Periquita Rosé 2017: 4,49€; para o Periquita Reserva Tinto 2016: 8,99€.

Vejam o vídeo que se segue. São poucos segundos e o filme é muito giro.


Casa Museu José Maria da Fonseca com recorde de visitantes

Casa Museu JMFO número de visitantes da Casa Museu da José Maria da Fonseca, em Vila Nogueira Azeitão, voltou a crescer em 2017 registando um novo recorde. O enoturismo recebeu 41 mil visitantes, originários de mais de 80 países. Portugal representa 28% do total de visitantes, seguido dos EUA, Brasil, Alemanha, França, Reino Unido, Rússia e Suécia.

Para Sofia Soares Franco, Responsável de Enoturismo e Comunicação da José Maria da Fonseca “Estes números confirmam que a aposta e o investimento contínuo na oferta enoturistica da José Maria da Fonseca são o caminho. O enoturismo é simultaneamente uma ferramenta fortíssima de marketing e uma área de negócio que tem um produto forte e dinâmico”. Sofia aponta ainda que “a Casa Museu tem beneficiado do excelente momento que o turismo em Portugal vive e da proximidade a Lisboa”.

Na Casa Museu de José Maria da Fonseca é possível visitar as seguintes adegas: a Adega da Mata, onde estagia o vinho Periquita, a Adega dos Teares Novos, onde decorre a Confraria do Periquita, e a Adega dos Teares Velhos, onde repousam os moscatéis mais antigos da casa. No final da visita, é oferecida uma prova de vinhos, ou vinhos e gastronomia.

A José Maria da Fonseca é uma família de vinhos com quase 200 anos de história que proporciona experiências de degustação vínicas e gastronómicas através da sua Casa Museu. As visitas guiadas nas suas instalações em Vila Nogueira de Azeitão são realizadas desde os anos 60, sendo que a partir de 2007 se separou a área de negócio.

A Casa Museu está aberta diariamente, inclusive fins-de-semana e feriados com serviços variados como visitas guiadas, provas de vinhos e degustação de iguarias regionais, almoços/jantares/cocktails e reuniões de empresa.

As reservas deverão ser dirigidas a enoturismo@jmfonseca.pt ou (+351) 212 198 940.

jose_m_fonseca9