Bastardinho de Azeitão 40 anos: Deste já não há mais!

Bastardinho baixaO Moscatel de Setúbal Bastardinho de Azeitão 40 anos da José Maria da Fonseca foi considerado uma “autêntica filigrana enológica” pela revista Vinhos Grandes Escolhas. As vinhas de onde se situavam as uvas já não existem, deram lugar a urbanizações, asfalto e cimento. Custa 297,50 euros, mas é uma rara preciosidade.

Este último engarrafamento dos 2300 litros de Bastardinho de Azeitão surpreendeu os que o puderam provar por ser “sublime, de notável complexidade aromática e gustativa, misturando sugestões de biscoito, figos secos, balsâmicos, especiarias. Tudo isso mantendo uma frescura que confere leveza e elegância ao corpo untuoso e rico”.

Pode dizer-se com toda a propriedade que “deste já não há mais”, porque as vinhas com cerca de 90 anos da casta Bastardo (Trousseau), que deram origem a este licoroso, situavam-se entre a Costa da Caparica e o Lavradio e foram sendo arrancadas durante a década de 1980 devido à pressão urbanística (aconteceu o mesmo que ao Vinho de Carcavelos). Para prevenir a sua extinção, em 2005, a José Maria da Fonseca plantou meio hectare desta casta nas suas propriedades, sendo que dificilmente conseguirá condições para produção de um vinho semelhante num futuro próximo.

Marca Periquita foi registada em 1850

Fundada há mais de 180 anos, (1834) a José Maria da Fonseca é um dos líderes nas áreas da produção e comercialização de vinhos de mesa e generosos, encontrando-se as suas marcas presentes em mais de 70 países.

O portefólio da José Maria da Fonseca engloba mais de trinta marcas de grande qualidade, representativas das principais regiões vitivinícolas nacionais. Muitas delas são hoje casos de popularidade a nível nacional e internacional e autênticos emblemas do nosso País. Este sucesso decorre do enorme investimento humano e material e de uma constante capacidade de renovação por parte da José Maria da Fonseca que, ao longo da sua história, e actualmente, já na sétima geração, tem sabido preservar uma herança preciosa sem descurar a modernização.

José Maria da Fonseca foi um extraordinário percursor, ao iniciar o registo de uma marca, Periquita, e a proceder ao seu engarrafamento e exportação corria o ano de 1850. Para isso ser possível teve de importar garrafas, rolhas e rótulos, já que ninguém fazia esses produtos em Portugal à escala e com a qualidade que José Maria da Fonseca pretendia.

Este grande empreendedor visionário nasceu em Vilar Seco, concelho de Nelas, a 31 de Maio de 1804, vindo a morrer com 80 anos. Depois de se ter bacharelado em Matemática na Universidade de Coimbra ruma a Azeitão, onde em 1834 funda a empresa com o seu nome. Dotado de um forte espírito progressista, José Maria da Fonseca nunca deixou de inovar, devendo-se a ele o lançamento do vinho engarrafado em Portugal e, entre outras coisas, o grande aperfeiçoamento do fabrico do Moscatel de Setúbal e a produção do Queijo de Azeitão, tendo trazido para uma das suas quintas da Península de Setúbal, um pastor e ovelhas da Serra da Estrela, porque tinha saudades do queijo da sua terra.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s